Ficou Mais Fácil Ingressos com desconto

Destaques      

DESTAQUES


VIAJAR É BOM MAS, E OS FILHOS?

O eterno drama: Devemos levar as crianças? Leia nossa opinião. Algumas viagens ou passeios se destacam pelas paisagens, lembranças, cheiros, cores, sabores, sons... Enfim, quando viajamos, todos os nossos sentidos ficam em alerta e nos remetem às sensações que trazem reflexões que entendemos como importantes ressaltá-las aqui.

Este portal está em constante atualização, portanto, siga-nos no Facebook e inscreva-se no nosso canal no Youtube, para ser notificado sempre que fizermos novas postagens. Fique em dia com os novos destinos e aventuras. Ajude-nos a manter este portal divulgando o nosso trabalho para seus amigos e parentes.



Destaques da Viagem: BUENOS AIRES

Um tempo para o casal: Viajar sem os filhos pela primeira vez... Que desafio!


Buenos Aires é um destino acessível, próximo, agradável e de fácil comunicação. No nosso caso, o "próximo" foi o fator principal para a escolha desse destino. Foi a primeira viagem que fizemos sem as crianças. Para lá, foi possível uma viagem de 4 dias, sabendo que se precisasse voltaria correndo. Meu marido planejou tudo, inclusive o apoio total da minha mãe e irmãos, tentando tornar o evento mais fácil para mim.


Fui uma mãe, que só conseguiu voltar ao salão para fazer as unhas para o aniversário de um ano do primeiro filho, que só deixou a babá encostar na criança quando voltou a trabalhar e mesmo assim, brigando quando ela dava o banho nele. Enfim, já dá para perceber que deixá-los não seria fácil!

As crianças já estavam com 3 e 6 anos de idade. Foi uma boa opção do período. Muito mais fácil para a mãe, quando se tem dois. Irmãos querem estar juntos e sinceramente, a cada dia me convenço mais que desde que eles estejam juntos, tudo bem para os dois. Mesmo assim o sofrimento foi inevitável. Nas semanas anteriores vibrava com a possibilidade de conhecer um novo destino e sofria por me sentir a pior das mães. Como me divertir deixando meus filhos? Como eles sobreviveriam sem mim?


O voo para lá foi sofrido, a dor no peito aumentava a cada minuto. Cheguei ao hotel e a primeira atitude que tive foi ligar para casa... não quiseram nem me atender. Aos fundos ouvia a farra da família com os dois. Foram super mega paparicados! Pensei que a saudade ainda não havia batido, mas os dias se passaram e eles continuaram da mesma forma: felizes e achando tudo muito normal. Aos poucos fui relaxando, percebendo que eles viviam sem a minha presença e que existiam outras pessoas que os amavam tanto quanto eu. Fato: quem mais sofre somos nós, mães!


Foi uma experiência e tanto! Eu e meu marido conseguimos fazer coisas simples, que desde de que as crianças nasceram não fazíamos mais, tipo: acordar juntinhos na hora que quisesse, assistir algo na TV que não fosse desenho, andar de mãos dadas pelas ruas... E aos poucos eu o olhava e me lembrava porque tinha me casado com ele. Voltei a sentir emoções da época do namoro... Como é bom perceber que amamos aquela pessoa que embora muito próxima e íntima, parecia tão distante e desconhecida.


Então, super recomendo essas escapulidas, com 10 recomendações básicas:

  1. Observe o grau de independência do seu filho. Não apenas se ele faz as coisas sozinho, afinal, acredite, as avós e tios sabem ajudá-lo também. Mas se ele consegue se comunicar expressando com clareza seus desejos e vontades. Isso ajudará bastante a quem ficar com ele.
  2. Procure deixá-lo em uma rotina de brincadeiras e coisas que goste o mais próximo possível da sua rotina diária. Gosto muito de deixá-los em casa mesmo, com a estrutura que estão costumados. Caso contrário, uma viagem com avós e tios também pode ser legal! Eles irão se distrair com tanta novidade. Ou seja, ou em casa, ou com uma programação intensa de atividades...
  3. Procure mantê-lo próximo a outra criança. Toda criança quer estar com outra criança! Se tiver irmãos ótimo. Se não, procure primos ou amiguinhos. Quando estão juntos, nem lembram dos adultos.
  4. Comece aos poucos com viagens mais curtas e próximas e depois poderão ousar o quanto quiserem. Claro, dentro do limite do abuso de incomodar toda a família.
  5. Identifique os familiares que a criança tem confiança e gosta de estar junto. Aquele que quando comunica a viagem, ela já pergunta com um sorriso safado; vou ficar com a vovó?
  6. Deixe-o mais livre. Na sua ausência não cobre uma dieta rígida, por exemplo. Mesmo porque, seus familiares só vão dar comidas que ele gosta e na hora que ele quiser. Já deixe a sua casa abastecida de guloseimas ou deixe o dinheiro para que providenciem. Ele vai associar a sua partida a prazer garantido.
  7. Dependendo da idade, e hoje eles começam cedo, ensine-o a usar o Skype. Você se sentirá super bem em sentar em uma mesa de um restaurante e deixá-lo acompanhar o momento. Ele vai amar ver você mostrar o seu quarto e os lugares em que está, quando estiver disponível. E você irá amar ver aquela carinha sorridente e feliz ao dizer: te amo mamãe!
  8. Evite escolher destinos e fazer programas que você sabe que seu filho gosta. Você não ficará feliz, curtindo algo que ele gosta, sem ele. Viagem para o casal, então programas mais românticos e adultos e destinos menos interessantes para crianças. Claro!
  9. Deixe, com fácil acesso, uma listinha da medicação e dosagem, caso necessário e separe os documentos básicos: identidade, telefone do pediatra e carteirinha de plano de saúde. Isso irá lhe tranquilizar.
  10. Não minta para o seu filho. Converse o tempo todo com ele explicando que papai e mamãe precisam de namorar e fazer programas de adultos. Mostre que existem programas que eles não gostam, mas que vocês gostam, então vão aproveitar para fazê-los. Deixe-o ver que deixou tudo organizado para que ele esteja bem. O sentimento tem que ser de cuidado e não de abandono. Essa relação de confiança é super saudável para toda a família.
Buenos Aires me lembra romance. Foi o renascimento de um casal bem mais amadurecido e próximo. Então, se ainda não teve coragem de deixar seu pimpolho, esse é um destino que recomendo! Uma nova relação familiar irá surgir. Experimente! Além disso, você irá se divertir nas fábricas de couro, entre sapatos, bolsas e casacos. Não é a combinação perfeita?


Alexandra.

Saiba mais sobre outras reflexões de nossas andanças pelo mundo em nossa página: Destaques


NOSSAS MÍDIAS

YouTube   Facebook   Instagram   Twitter





Alugue seu Carro aqui




Reserve seu Hotel aqui


Booking.com

Quem Somos    O Projeto    Mapa do Site    Fale Conosco

© Ficou Mais Fácil